Falsificadores de liminares para bingos são presos

A Polícia Federal prendeu nesta sexta-feira duas pessoas ligadas a uma quadrilha de falsificação de liminares para casas de bingo no Rio Grande do Sul e um ex-empresário do ramo. Cerca de 40 agentes participaram da operação, que cumpriu nove mandados de busca e apreensão na capital gaúcha e um em Canela. Também foram recolhidos documentos contábeis, papéis timbrados com brasões da Justiça, computadores e US$ 30 mil.A investigação começou em janeiro, quando um processo por sonegação fiscal contra Rogério Daniel Reuter, ex-sócio do Bingo Roma e atual responsável pelos softwares instalados em diversas casas de jogos do País foi roubado da 3ª Vara da Justiça Federal de Porto Alegre. A investigação levou a polícia a descobrir que Reuter estava negociando a compra de uma liminar com os falsificadores Roberto Abílio Barcelos e Roberto da Costa Gama de Carvalho. Os três tiveram prisão temporária decretada pela Justiça e foram detidos nesta sexta-feira.O delegado Andrei Rodrigues disse que a quadrilha estava oferecendo as liminares aos empresários por US$ 80 mil e descarta a participação de juízes no esquema. "Pelo que constatei, não há envolvimento do Poder Judiciário", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.