Falcão: PT 'não cogita' prisão de filiados por mensalão

O presidente do PT, Rui Falcão, afirmou que o partido não cogita a hipótese de prisão para os condenados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no processo do mensalão. Ele disse esperar que na análise dos recursos seja feita uma "nova apreciação" do processo que inocente os filiados ao partido.

EDUARDO BRESCIANI, Agência Estado

08 de maio de 2013 | 16h05

"O PT já se manifestou sobre isso no ano passado através de uma nota pública e a nossa posição continua sendo a mesma. Para nós, até o momento, não há nenhum condenado, porque os recursos não se esgotaram. Portanto, não há de se cogitar de prisão de ninguém", afirmou Falcão após participar de evento em que recebeu apoio da corrente Movimento PT para sua candidatura à reeleição para a presidência do partido.

Falcão disse esperar que na análise dos recursos o STF reveja sua posição. "Não estamos trabalhando com essa hipótese porque acreditamos muito que, à luz dos embargos, haverá uma nova apreciação no processo. Nós sustentamos desde o início que não se pode condenar ninguém por suposições e na ausência de provas".

Tudo o que sabemos sobre:
mensalãoRui Falcão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.