Fala de Jarbas é 'desabafo' e não merece atenção, diz PMDB

Cúpula do partido diz que não vai advertir senador peemedebista, que chamou a legenda de corrupta

Rosana de Cassia, Agência Estado

16 de fevereiro de 2009 | 10h52

A Executiva Nacional do PMDB decidiu não polemizar, pelo menos por enquanto, as declarações do senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE)na entrevista que deu à revista Veja desta semana. Em nota, a Executiva do partido considera que as declarações de Vasconcelos foram um desabafo ao qual o PMDB "não dará maior relevo".   Segundo a Executiva, o partido não dará maior atenção às afirmações de Vasconcelos em razão da "generalidade das alegações". Fontes do PMDB afirmam que o partido está avaliando as declarações do senador e considera que Vasconcelos possa estar querendo sair do PMDB. Na entrevista, o senador afirma que "boa parte do PMDB quer mesmo é corrupção" e que "a maioria ( do PMDB) se especializou nessas coisas pelas quais os governos são denunciados: manipulação de licitações, contratações dirigidas, corrupção em geral".   Em entrevista à revista Veja desta semana, Jarbas disse que o PMDB é "um partido sem bandeiras, sem propostas, sem norte" e boa parte dos filiados "quer mesmo é corrupção".   O senador atacou diretamente o ex-presidente José Sarney (PMDB-AP), classificando sua eleição para a presidência do Senado como "completo retrocesso". Segundo Jarbas, Sarney não tem compromissos éticos: "A moralização e a inovação do Senado são incompatíveis com a figura do senador."Jarbas também atacou a gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, classificando-a como "um governo que deixou a ética de lado". A popularidade de Lula, na opinião dele, deve-se à sua "opção clara pelo assistencialismo". O Bolsa-Família seria "o maior programa oficial de compra de votos do mundo."Os altos índices de aprovação a Lula, disse o senador pernambucano, não deveria intimidar a oposição. "Não é uma batalha perdida, mas a oposição precisa ser mais efetiva. Há um diagnóstico claro de que o governo é medíocre e está comprometendo nosso futuro. A oposição tem de mostrar isso à população."     Veja a íntegra da nota da Executiva Nacional do PMDB:   "Em face da entrevista do senador Jarbas Vasconcelos, a Comissão Executiva Nacional do PMDB declara que não dará maior atenção a ela em razão da generalidade das alegações. Não aponta nenhum fato concreto que fundamente suas declarações. Ademais, lança a pecha de corrupção a todo sistema partidário quando diz "a corrupção está impregnada em todos os partidos". Trata-se de um desabafo ao qual a Executiva Nacional do Partido não dará maior relevo.   Brasília, 16 de fevereiro de 2009"

Tudo o que sabemos sobre:
Jarbas VasconcelosPMDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.