Faixas pedem candidatura de Alckmin

Apesar da negativa em tratar de questões nacionais pontuais, como a sucessão presidencial e estadual, faixas colocadas na Assembléia Legislativa, durante o VII Encontro Estadual do PSDB, pedem que Geraldo Alckmin dispute o governo do Estado em 2002. "Não podemos impedir que o partido se manifeste, mas não vamos tratar desse tema hoje", afirmou o deputado Edson Aparecido.A direção estadual do partido também não discutiu uma possível indicação do nome do secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico, José Aníbal, para a presidência nacional do PSDB. "A nova liderança só será definida em abril e não vamos falar sobre isso durante o encontro", lembrou. Segundo Aparecido, também não está na pauta a disputa entre o governador do Ceará, Tasso Jereissati, e o ministro da Saúde, José Serra, para a indicação dentro do PSDB para a candidatura à Presidência da República em 2002. "Não discutimos isso em nenhum momento", afirmou. O fortalecimento de Serra e a colocação de Aníbal na presidência daria mais força ao PSDB paulista dentro do partido. O PSDB anunciou hoje a adesão de 50 vereadores e 20 prefeitos de municípios paulistas. O partido também conseguiu integrar a seu quadro lideranças sindicalistas, como o presidente da Federação dos Trabalhadores Rurais do Estado de São Paulo, Mauro Alves da Silva, e o presidente do Sindicato de Perueiros de São Paulo, Laerte Ezequiel. Os campeões mundiais de basquete Edson Bispo dos Santos, Amauri Passos, Jatyr Schall e Peço Pecente oficializaram hoje sua adesão ao PSDB. No encontro, foi lançado o novo site do PSDB de São Paulo (www.psdb-sp.com.br) e uma campanha de filiação, que vai até outubro, quando haverá as convenções. Ela será feita por jornais e materiais de divulgação específicos do partido e pelo site. "Nossa meta é passar de 80 mil para 150 mil filiados até outubro", afirmou o deputado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.