Faixas apócrifas contra Gabeira saem de comitê eleitoral de Paes

?Estado? obteve duas delas em Senador Camará, na zona oeste; para Justiça, há propaganda subliminar negativa

Alexandre Rodrigues, RIO, O Estadao de S.Paulo

17 de outubro de 2008 | 00h00

As faixas apócrifas contra o candidato Fernando Gabeira (PV) que estão na mira da Justiça Eleitoral são distribuídas na zona oeste do Rio por cabos eleitorais de Eduardo Paes (PMDB). O Estado obteve ontem duas dessas faixas com a inscrição "Sou suburbano com muito orgulho" num comitê eleitoral de Paes instalado numa garagem do conjunto habitacional Santa Cruz, em Senador Camará (zona oeste), juntamente com flâmulas e bandeiras do candidato. As faixas, que não têm assinatura, são consideradas propaganda subliminar negativa pela Justiça Eleitoral, proibida pela legislação.A frase das faixas é uma alusão ao episódio em que Gabeira foi flagrado ao telefone acusando a vereadora Lucinha (PSDB), campeã de votos na zona oeste, de ter "visão suburbana" e ser "analfabeta política". Desde o início do segundo turno, simpatizantes de Paes têm feito uma espécie de campanha paralela na periferia em desagravo aos suburbanos, contra o candidato do PV.Pelo menos 40 faixas já foram apreendidas pela fiscalização do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Trinta delas foram encontradas na quarta-feira em uma Kombi com quatro pessoas que também portavam 6 mil panfletos contra Gabeira.A exploração do episódio envolvendo Gabeira foi encampada pela campanha oficial de Paes, que até ganhou um verso parecido com a frase das faixas em seu novo jingle: "Sou suburbano com muito amor", diz a letra. No entanto, o candidato tem negado que esteja por trás dos panfletos apócrifos e também se diz vítima desse tipo de material.O Estado não teve dificuldades de obter as faixas apócrifas na mesma origem do material de campanha oficial de Paes, num comitê na Avenida Santa Cruz, em Senador Camará. Sem saber que falavam com um jornalista, dois idosos que tomavam conta do comitê, após obterem autorização dos responsáveis por telefone, entregaram ao repórter duas faixas e um pacote com cerca de 20 flâmulas de Paes. Ainda insistiram para incluir no kit bandeirinhas com o número do candidato. Eles disseram que o comitê é "ligado diretamente à campanha de Paes" desde o primeiro turno. Não souberam apontar políticos envolvidos, mas contaram que o local também serviu para distribuir material de campanha do governador Sérgio Cabral (PMDB), padrinho político de Paes, em 2006.Em nota enviada ao Estado à noite, a coordenação da campanha de Paes negou que tenha mandado confeccionar faixas apócrifas e informou que só reconhece como comitê o que fica no Recreio dos Bandeirantes (zona oeste). "Não existe comitê em nenhum outro lugar. Simpatizantes da campanha de Eduardo Paes podem estar distribuindo material de campanha em suas casas ou locais comerciais, junto com outros panfletos, faixas que não pertencem à campanha. A campanha não confeccionou qualquer material relacionado ao tema suburbano e ninguém da equipe está autorizado a fazer tal material ou distribuir material extracampanha", diz a nota. COLABOROU LUCIANA NUNES LEAL

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.