Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Fachin nega transferência de Cunha para Brasília

Ex-deputado cassado seguirá preso em complexo penitenciário no Paraná

Rafael Moraes Moura e Breno Pires, O Estado de S.Paulo

31 de outubro de 2017 | 12h22

BRASÍLIA - O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou nesta terça-feira, 31, um pedido formulado pelo ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que solicitava a sua transferência definitiva do Complexo Médico-Penal de Pinhais, no Paraná, para o Complexo da Papuda, no Distrito Federal.

A defesa de Cunha alegava que a transferência facilitaria o contato do ex-deputado federal com a família e seus advogados, "viabilizando a maior efetividade ao seu direito de defesa".

Em sua decisão, Fachin destacou que, em fevereiro deste ano, o plenário do STF rejeitou uma reclamação de Cunha contra a sua prisão preventiva.

"Ao lado disso, consignou-se, por ocasião do julgamento (...), que o Plenário do Supremo Tribunal Federal reconheceu a competência do Juízo da 13.ª Vara Federal da Subseção Judiciária de Curitiba para a administração da prisão processual que lhe foi imposta", ressaltou Fachin.

"Desse modo, conclui-se, sob quaisquer das perspectivas analisadas, que o pleito formulado pelo requerente não deve ser conhecido", concluiu Fachin.

Cunha conseguiu autorização da Justiça Federal do DF para permanecer na capital federal apenas até o dia 28 de outubro da semana passada, por ocasião de um interrogatório.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.