Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Facebook libera acesso de Eduardo Bolsonaro após suspender perfil ‘indevidamente’

Deputado não fazia publicações na rede desde o dia 12 de julho; advogada do deputado afirma que dará 'prosseguimento à ação judicial' contra a plataforma

Levy Teles, O Estado de S.Paulo

20 de julho de 2021 | 18h02

O Facebook restabeleceu nesta terça-feira, 20, o acesso à conta do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) na rede social. De acordo com a empresa, o perfil foi suspenso por uma publicação “removida indevidamente”. O deputado não fazia postagens na rede social desde o dia 12 de julho. 

De acordo com informações do blog de Ancelmo Góis, do jornal O Globo, a suspensão foi por uma postagem que usava frases de Adolf Hitler. No dia 10 de julho, Eduardo Bolsonaro fez uma postagem que usava duas imagens do ditador nazista. “Quanto maior for a mentira, mais pessoas acreditarão nela”, diz uma delas, extraída do site pensador.com.

 


“O post de Eduardo Bolsonaro foi removido indevidamente e já foi restaurado. A consequente restrição foi levantada do perfil do deputado”, diz a rede social em comunicado.

Há uma ação judicial aberta sobre o caso, acionada por Eduardo Bolsonaro.  O Facebook não pode comentar as especificidades da ação. É possível apelar contra uma punição na rede social pela própria plataforma. "A decisão é correta, mas não é suficiente", disse Karina Kufa, advogada do parlamentar, em nota. "Vamos dar prosseguimento à ação judicial para que a empresa Facebook repare os danos causados ao parlamentar e não volte a cometer abusos dessa natureza."

O deputado federal já havia processado o Facebook em 2019, exigindo indenização por dano moral. O caso foi julgado improcedente em março de 2020.


 

Tudo o que sabemos sobre:
Eduardo BolsonaroFacebook

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.