Fabricante do Celobar tenta na Justiça evitar a falência

O advogado do laboratório Enila, Paulo Henrique Lins, afirmou nesta quarta-feira que entrará com recurso contra a decretação da falência da empresa, que produzia o contraste Celobar, remédio suspeito de ter matado mais de 20 pessoas em cinco Estados. "A concordata seria a melhor maneira de resolver a situação dos 360 funcionários que estão sem receber e dos fornecedores", disse o advogado.A decisão de terça-feira, do juiz da 1ª Vara Empresarial do Rio, Gustavo Bandeira da Rocha Oliveira, pode prejudicar a situação das famílias de eventuais vítimas do medicamento. De acordo com o Ministério Público do Rio, se ficar comprovada a culpa do laboratório, como apontam as investigações os advogados das famílias devem entrar com pedido de reserva de crédito para garantir o pagamento de eventuais indenizações que forem concedidas pela Justiça. Pela Lei de Falências, empregados têm prioridade no pagamento de dívidas e, em seguida, fornecedores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.