André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Fábio Ramalho (MDB-MG) diz que é candidato à presidência da Câmara

Deputado se reunião com presidente eleito, Jair Bolsonaro e com o ministro extraordinário de transição, Onyx Lorenzoni

Luisa Marini, especial para o Estado

21 Novembro 2018 | 17h25

BRASÍLIA - O presidente em exercício da Câmara dos Deputados, Fábio Ramalho (MDB-MG), disse nesta quarta-feira, 21, que vai concorrer à presidência da Casa no ano que vem. O deputado foi ao Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) se reunir com o ministro extraordinário de transição, Onyx Lorenzoni (DEM), mas disse que o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) o chamou para conversar.

"Conversei com ele (Bolsonaro). Fui falar sobre a separação dos poderes, que a gente precisa ter uma Câmara independente e forte para que a gente possa fazer pelo Brasil as reformas necessárias", disse Ramalho.

Segundo o deputado, hoje a Câmara não tem o protagonismo necessário. Por isso, ele disse que é candidato à presidência da Casa. "Eu, como vice presidente, sou natural candidato", disse Ramalho. "Mencionei a minha candidatura, ele (Bolsonaro) falou que não veta o meu nome, sou candidato independente."

O deputado disse ainda que Bolsonaro garantiu que não vai interferir na Câmara. O atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), busca apoio para se reeleger, mas pode encontrar resistência já que seu partido, o DEM, tem três ministérios: Casa Civil, Agricultura e Saúde.

Fábio Ramalho falou que a reforma da previdência será a prioridade no início do governo Bolsonaro e que tem concordâncias e discordâncias com o texto que está em tramitação na Câmara dos Deputados. "Temos que aprovar uma reforma benéfica para o Brasil", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.