LUIS MACEDO AGENCIA CAMARA
LUIS MACEDO AGENCIA CAMARA

Fábio Faria toma posse nesta quarta como ministro das Comunicações

Genro de Silvio Santos, deputado do PSD integra o Centrão, novo aliado de Bolsonaro

Julia Lindner, O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2020 | 19h49

BRASÍLIA –  O Palácio do Planalto marcou para esta quarta-feira, 17, a cerimônia de posse do deputado Fábio Faria (PSD-RN) como ministro das Comunicações. Embora Faria faça parte do PSD, partido que integra o Centrão, o presidente Jair Bolsonaro tem dito que a nomeação é da sua cota pessoal de indicações. 

Em entrevista à TV Band News, nesta segunda-feira, 15, Bolsonaro afirmou que o deputado é seu “amigo particular” há muito tempo. “Ter parlamentares não tem nada a ver com fisiologismo. Temos bons parlamentares. O Fábio Faria entende do assunto, acredito muito no trabalho dele”, disse o presidente.

Na semana passada, Bolsonaro anunciou que decidiu recriar o Ministério das Comunicações, dividindo a atual pasta de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, comandada pelo ministro-astronauta Marcos Pontes, militar da reserva. A decisão pegou aliados de surpresa.

Historicamente vinculada à Presidência, a Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) foi extinta. As atribuições foram assumidas pelo novo ministério chefiado por Faria.

A Secom é atualmente comandada pelo advogado Fábio Wajngarten, empresário do setor de checagem de audiência em TVs. Wajngarten será transferido para o ministério. Deixará de ser subordinado aos ministros Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) e Walter Braga Netto (Casa Civil) e passará a responder a Faria, com quem tem boa relação.

A Secom é o quinto maior contratante de publicidade do poder Executivo federal, com R$ 127,3 milhões em contratos vigentes com agências de propaganda. Além da publicidade, é responsável pela divulgação dos atos do governo, por assessoria e relacionamento com imprensa e por atuação nos meios digitais, com controle das redes sociais do Planalto.

Faria é genro de Silvio Santos

Genro do apresentador e empresário Silvio Santos, do SBT, Faria vai comandar o ministério que tem atribuições na área da radiodifusão, incluindo a determinação de políticas públicas, processos e renovações de outorgas, fiscalização de conteúdo, entre outras. Como a Secom também foi transferida para o novo ministério, Faria será responsável, ainda, por distribuir verbas para TVs, além de cuidar de políticas públicas e fiscalização em áreas de interesse de empresas da sua família.

O SBT tem dedicado uma cobertura favorável ao presidente. O Planalto não só contratou apresentadores do canal para participar de campanhas, como prestigia programas populares com a presença do presidente e de ministros. Recentemente, jornalistas da emissora foram surpreendidos com o cancelamento repentino da edição de seu principal telejornal, o “SBT Brasil”, horas antes de a programação ir ao ar.

Na ocasião houve comentários de reclamações do governo sobre a edição do dia anterior referente à reunião ministerial de 22 de abril. O encontro só se tornou público após decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, que investiga denúncia apresentada pelo ex-titular da Justiça Sérgio Moro a respeito de interferência de Bolsonaro na Polícia Federal. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.