Eymael apoia Dilma, mas libera correligionários

Em nota divulgada nesta manhã, o candidato derrotado do PSDC à Presidência da República, José Maria Eymael, anunciou apoio formal à presidenciável Dilma Rousseff (PT). Embora apoie a petista, o comunicado informa que os dirigentes estaduais estão liberados a acompanhar o posicionamento da coligação local de que fizeram parte no primeiro turno. Em São Paulo, como o partido apoiou o petista Aloizio Mercadante, o PSDC recomenda que os dirigentes estaduais e municipais participem dos atos públicos de apoio à Dilma.

AE, Agência Estado

21 de outubro de 2010 | 13h52

José Maria Eymael ficou em quinto lugar no primeiro turno, com 89.350 votos, o que corresponde a 0,09%. Na nota, o PSDC afirma que sua principal bandeira de campanha, a criação do Ministério da Família, será pleiteada ao próximo presidente. "Após o 2º Turno da Eleição Presidencial 2010 a Comissão Executiva do Diretório Nacional iniciará gestões junto ao novo Presidente da República no sentido da criação do Ministério da Família, bandeira da Democracia Cristã no Brasil."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.