Expulsos do PT aprovam estatuto de novo partido

Os ex-rebeldes do PT, expulsos há cinco meses do partidopor votarem contra a reforma da Previdência, aprovaram hoje o estatutoe o programa do Partido Socialismo e Liberdade (P-SOL). A legendadepende de uma série de providências para se legalizar e só deve entrarna disputa eleitoral em 2006. Até lá, de acordo com a senadora HeloisaHelena (AL), seus integrantes estarão mobilizados na defesa de pontosabandonados pelos ?petistas? no governo Lula, como é o caso dorompimento com o Fundo Monetário Nacional (FMI) e com a Alca. ?O Sol é um abrigo para a esquerda democrática que não fez a opção de selambuzar no banquete fácil do poder?, explicou. Para se concretizar, o partido tem, entre outras coisas de obter pelo menos 438 milassinaturas de apoio em nova Estados do País. A deputada Luciana Genro(RS) acredita que isso será viabilizado num prazo recorde.O protesto contra o salário mínimo de R$ 260 será o primeiro alvo deataque ao governo. A senadora promete intensificar o trabalho no Senadopara aprovar sua proposta que eleva o mínimo a R$ 320. Segundo ela,embora esteja abaixo do necessário, é esse o valor necessário para opresidente Lula cumprir com a promessa de campanha de dobrar o poder decompra do mínimo em quatro anos. ?O PT mudou de lado mas não conseguiuliquidar as bandeiras histórias da classe trabalhadora?.Heloisa Helena também quer intensificar o ?tiroteio? contra aresistência do Planalto às CPIs que investigariam denúncias decorrupção no governo Lula. Estão na lista de denúncias, entre outros, a cobrança de propina por parte do ex-assesssor da Casa Civil,Waldomiro Diniz, e o episódio dos vampiros no Ministério da Saúde.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.