Exposição de fotos irrita tucanos em Brasília

Horas antes do candidato do PSDB à Presidência da República e ministro José Serra (PSDB-SP) deixar a pasta da Saúde para reassumir sua cadeira no Senado, uma exposição com 70 fotografias exibindo cenas chocantes de pacientes em hospitais de sete capitais era inaugurada no Salão Negro do Congresso. A exposição de fotos, intitulada ?A saúde que só o povo conhece?, acabou irritando tucanos que estranharam a coincidência da mostra ser exibida precisamente nodia em que Serra deixava a Saúde, com um longo discurso enumerando suas conquistas a frente do Ministério, e voltava para o Senado.A exposição foi autorizada pelo primeiro-secretário do Senado, Carlos Wilson (PTB-PE), que chegou a ser procurado por colegas de partido de Serra para acabar com a mostra. ?Não vou tirar a exposição porque não éuma mostra contra ninguém?, afirmou Carlos Wilson, que alegou não ter tido conhecimento prévio do conteúdo da mostra. ?Não faço censura prévia nem pergunto o que vai se exposto; seria deselegante da minha parte?, argumentou. O primeiro secretário só admitiu acabar com a exposição caso ?alguém me comprove que as fotos não são verdadeiras e há montagem?. A mostra, que vai até 1º de março, acabou sendo visitada pelo presidente do Senado, Ramez Tebet (PMDB-MS), que confidenciou a amigos ter gostado ?muito? da exposição. As 70 fotos foram tiradas nos meses de dezembro de 2001 e janeiro deste ano pela empresa Free Press, do jornalista Mino Pedrosa. Ele não quis, no entanto, revelar quem patrocinou a mostra. ?Foi um laboratório farmacêutico que não queraparecer?, limitou-se a informar. Segundo Mino Pedrosa, a exposição irá percorrer várias capitais e será exibida em shopings centers a partir da segunda quinzena de março. As fotos foram tiradas em hospitais de sete capitais: São Paulo, Rio, Belo Horizonte, Maceió, Recife, Teresina e Brasília. Mas nenhuma das 70 fotos vem com legenda identificando qual o hospital e em que cidade se passa a cena. As fotografias exibem pacientes no chão de salas de cirurgia, em macas imundas, abandonados em leitos de hospital e à espera de atendimento em filas homéricas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.