Explosão leva colombianos a invadir cidade do Amazonas

Centenas de colombianos cruzaram a fronteira brasileira, por Tabatinga, a 1.108 quilômetros de Manaus, no domingo. A mobilização ocorreu em momento de pânico, depois de explosões e incêndio em um depósito de armas de um batalhão do Exército colombiano, na cidade de Letícia, fronteira com o município amazonense, separado da Colômbia apenas pela Avenida da Amizade ou Amistad.De acordo com o comandante do 8º Batalhão de Infantaria de Selva do Exército em Tabatinga, tenente-coronel Jorge Fernando Marques de Almeida, o Aeroporto de Letícia só foi reaberto na manhã de ontem. A informação foi repassada em carta oficial enviada na segunda-feira pelo comandante colombiano Carlos Alberto Garcia, da Brigada de Selva 26.Até então, os vôos que deveriam descer em Letícia foram desviados para Tabatinga. De acordo com o tenente-coronel Almeida, a medida foi necessária porque a perícia vinda de Bogotá desde ontem estava juntando estilhaços da explosão do local. "Durante as explosões, que foram várias, colombianos e brasileiros saíram desesperados, chorando e correndo pela Avenida da Amizade, pensando ser algum ataque das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia)", contou o tenente-coronel Almeida. Segundo ele, a explosão ocorreu por volta das 16h30, durante o jogo Brasil x Argentina, pela Copa América. Segundo ele, a nota oficial do Exército colombiano informa ainda que, em até 30 dias, será divulgado o laudo do acidente. Ainda de acordo com Almeida, foram enviadas ao local quatro ambulâncias do Brasil - duas do Exército e duas da prefeitura de Tabatinga. "O incêndio durou cerca de duas horas e felizmente não houve feridos. No entanto, há estilhaços de vidro e madeira por uma área de mais de 5 quilômetros", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.