Explosão em refinaria causa morte de operário

Um operário da Refinaria Gabriel Passos (Regap), unidade da Petrobras em Betim, região metropolitana de Belo Horizonte, morreu vítima da explosão de um caminhão-tanque que estava prestes a ser carregado com nafta. Segundo a direção da Regap, o operador de refinaria Rogério da Silva, de 41 anos, preparava-se para encher o tanque do veículo, a partir de um ponto de abastecimento da refinaria, quando aconteceu o acidente. Silva teve queimaduras de terceiro grau e ainda foi arremessado para cima, com o impacto da explosão. Ele morreu na hora. A Assessoria de Comunicação da Regap informou que a empresa constituiu uma comissão de técnicos para apurar as causas da explosão. A princípio, ela teria ocorrido no caminhão, pertencente à transportadora Dalçóquio, e não teria envolvido ou danificado equipamentos da Petrobras. Dois motoristas, do caminhão que explidiu e de outro que havia acabado de ser abastecido, estavam próximos ao local, mas nada sofreram. O Sindicato dos Petroleiros de Minas, que faz seguidas denúncias sobre uma suposta falta de segurança na Regap, informou que Rogério da Silva foi o décimo funcionário, direto ou indireto, da Petrobras, a morrer na unidade em razão de acidentes, nos últimos seis anos. O caso mais grave aconteceu em 1998, quando equipamentos da unidade de dessulfurização da Regap explodiram, matando seis pessoas e ferindo outras seis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.