Exército vê benefício em golpe de 64

O Ministério do Exército divulgou, neste domingo, uma nota oficial para lembrar os 38 anos do movimento militar de 31 de março de 1964 que derrubou o presidente João Goulart do poder. No documento, o Movimento Cívico Militar, nome oficial do golpe coordenado pelos militares e lideranças empresariais da época, é ressaltado como um "marco no processo evolutivo nacional" que teve reflexos para a atual conjuntura."A crise econômica no início dos anos 60 e os antagonismos da Guerra Fria inquietavam e frustravam todos os estratos sociais", diz a nota do ministério, destacando ainda que o movimento "criou condições para construção de um novo Brasil em ambiente de paz e segurança".Quase quarenta anos depois, a nota no ministério faz uma leitura inusitada de um período da história do Brasil marcado pela hegemonia das elites no poder, intervenção em sindicatos e perseguição a lideranças trabalhadoras. "Hoje a perspectiva de mais de três décadas permite analisar o Movimento Cívico Militar de 31 de março de 1964 com olhos, mente e coração liberto das questões que dividiram o país no passado. Desta análise, verifica-se que ele surgiu e se afirmou na defesa do regime democrático, em comunhão com os anseios da gente brasileira, conforme registram as evidências históricas, as quais, nunca é demais repetir, não se apagam nem se reescrevem".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.