Exército vai participar de combate à dengue no Rio

O Ministério da Saúde decidiu adotar medidas emergenciais para combater a dengue no Rio de Janeiro. Em reunião encerrada no início da noite desta segunda-feira, o ministro José Serra autorizou a contratação de 1.100 agentes de saúde para reforçar as ações contra o mosquito aedes aegypti.Ficou acertada, também, a participação de pelo menos mil soldados do Exército e de efetivos da Marinha para auxiliar no controle da doença no Estado do Rio. Durante cerca de três horas, Serra e todos os dirigentes do ministério ligados à áreas relacionadas à dengue discutiram formas de atacar a epidemia no Rio.A participação das Forças Armadas foi combinada durante o encontro , em contato telefônico do ministro com o comandante do Exército, general Gleuber Vieira. Serra falou também por telefone com o comandante da Marinha, almirante Sérgio Chagasteles, que também se dispôs a ceder tropas para atuar no combate ao mosquito transmissor.Os militares serão treinados pela Fundação Nacional de Saúde. Serra autorizou a contratação imediata de 1.100 agentes de saúde. Esse contingente faz parte do total de 2.400 agentes aprovados em concurso público, dos quais 1.300 já foram ou estão sendo treinados. A contratação será custeada com recursos do Ministério da Saúde.Nesta terça-feira, o secretário de Saúde do Rio de Janeiro, Ronaldo César Coelho, vem a Brasília para tratar diretamente no Ministério da Saúde das ações de combate à epidemia. A propagação da dengue, no Rio, tem motivado críticas ao ministro, que é pré-candidato do PSDB à presidência da República.O governador do Rio, Anthony Garotinho (PSB), outro pré-candidato à presidência, acusa Serra e o ministério de omissão no controle da doença. As críticas de Garotinho motivaram, nas últimas semanas, um bate-boca entre os dois pela imprensa, com acusações recíprocas.Serra defende-se, afirmando que os casos de dengue caíram na grande maioria dos Estados do País e que o aumento descontrolado de casos ocorreu apenas no Rio de Janeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.