Exército recuperará estradas caso não haja acordo, diz Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deu um recado aos empresários do setor de construção civil envolvidos no processo de licitação das obras de restauração e duplicação da BR 101 Nordeste. A recuperação de parte da estrada está sendo feita pelo Exército em razão de problemas judiciais entre as empresas que tinham interesse em participar da obra. "À medida que não houver acordo entre os empresários e o Exército tiver condições de fazer, vamos (tocar as obras) com o batalhão de engenharia", avisou. Para Lula, é preciso que, daqui para frente, "as pessoas sejam mais sérias no tratamento da concorrência".As obras de duplicação da BR-101 Nordeste foram divididas em oito lotes. Inicialmente, o Exército está encarregado da recuperação da via em três trechos: os que dão acesso a Natal (RN), João Pessoa (PB), e Recife (PE). A reforma que está sendo executada pelo Exército começou há menos de um mês e engloba 142,5 quilômetros da rodovia. Os investimentos previstos para estes três trechos são de R$ 521,80 milhões.Segundo explicou o ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, houve problema entre as empresas que participaram da licitação, o que obrigou o governo a solicitar a colaboração do Exército para o início das obras. O ministro, que acompanhou o presidente Lula em visita a um trecho da obra perto de Natal, rebateu as críticas a respeito da operação tapa-buraco que está sendo realizada nas estradas federais do País. "Trata-se de uma ação complementar, que está sendo executada com base em uma ação de obras duradouras", afirmou. Segundo Nascimento, o governo federal está investindo R$ 3 bilhões em obras "definitivas" nas principais vias de acesso do Brasil. ReeleiçãoO presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje, em São José de Mipibu, RN, que não tem pressa em definir se disputará a reeleição. "Não tenho essa preocupação (em definir logo). Isso não me faz perder um minuto de sono", afirmou, em rápida entrevista após vistoriar as obras de duplicação da rodovia BR 101 Nordeste, a 30 quilômetros de Natal.Lula insistiu que quem deve ter preocupação com a eleição presidencial são os seus adversários. "Eu estou tranqüilo porque tenho que governar o Brasil até 31 de dezembro", comentou. Afirmou ainda que no momento certo decidirá se tentará ou não um segundo mandato. "No momento certo vou decidir e todo mundo ficará sabendo porque terei interesse em dizer."O presidente mandou um recado a seus adversários que têm criticado a quantidade de viagens que ele tem feito. "Não sei se os críticos gostariam que eu ficasse trancado dentro do Palácio do Planalto. Possivelmente seja isso, para eles poderem andar sozinhos", disse, mas avisou: "vou continuar viajando muito mais. O presidente não pode parar em ano eleitoral".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.