Exército protege instalações da Vale em Serra Leste

Uma tropa do Exército está bem próximado garimpo de Serra Pelada, de onde se retirou na últimaquinta-feira. Agora, ela está fazendo a segurança de Serra Lesteuma área de exploração mineral da Companhia Vale do Rio Docecolada à Serra Pelada e separada por uma cerca de 600 metros. A presença do Exército é para evitar uma possívelinvasão das instalações da Vale por seis mil garimpeiros que seencontram em Serra Pelada desde sábado. Além de funcionários, aempresa possui diversos equipamentos de lavra industrial emSerra Leste. Os garimpeiros têm afirmado que toda a regiãopertence a eles e não à Vale. A empresa se diz dona da área ealega ter documentos que comprovariam sua alegação. A Polícia Militar está fazendo a segurança em SerraPelada com 254 homens do Comando de Missões Especiais, de Belém.Eles levaram armamento pesado para o garimpo, cães e bombas deefeito moral. A venda de bebidas alcoólicas está proibida nogarimpo, assim como a circulação de garimpeiros armados. "Nãovamos tolerar desordens e nem brigas entre grupos", disse ocomendante do 4º Batalhão da PM em Marabá, Antonio Araújo. O presidente da Cooperativa dos Garimpeiros de SerraPelada (Coomigasp), João Lepos, disse temer por um confrontoentre grupos rivais, mesmo com a presença da PM na área. "Oproblema é que entraram seis mil, no sábado, e tem mais cincomil querendo entrar de qualquer maneira. Não vai dar certo",adverte Lepos. Ele é adversário do ex-presidente da Coomigasp, Luiz daMata, e inimigo do ex-agente do SNI e atual prefeito deCurionópolis, Sebastião Curió. Segundo Curió, a melhor soluçãoseria uma nova eleição na cooperativa. Lepos é contra. E afirmaque seu mandato só termina em junho de 2003.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.