Exército não reforçará a fronteira com a Colômbia

O Comando do Exército informou que não há necessidade de reforço nas fronteiras brasileiras como conseqüência do anúncio da realização de uma megaoperação denominada Tânatus desencadeada pelo governo colombiano para combater os guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).Segundo o Centro de Comunicação do Exército, na região Amazônia está sendo realizada a Operação Abraço, de patrulhamento da área, que faz a interligação entre os vários quartéis de fronteira. Pelo menos sete pelotões de fronteira e batalhões existem na região fronteiriça do Brasil com a Colômbia.De acordo com o Exército, as unidades militares da área estão desenvolvendo missões de patrulhamento, sem alteração de rotinas. O principal quartel daquela região é o de Tabatinga, que fica exatamente na fronteira com a Colômbia. Embora não haja decisão de decretação de estado de alerta na área, sempre que ocorrem movimentações extras nos países vizinhos, as atenções dos batalhões e pelotões de fronteira aumentam. Os setores de inteligência do Ministério da Defesa e dos comandos militares das três forçar mantém constante monitoramento da situação, com objetivo de evitar surpresas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.