Exército fará auditoria em obras da Gautama em Alagoas

Compromisso firmado com o Estado é apenas de averiguação; empresa foi considerada inidônea

RICARDO RODRIGUES, do Estadão, Agencia Estado

13 de agosto de 2007 | 20h03

O Exército Brasileiro vai realizar uma auditoria técnica em duas construções da Construtora Gautama em Alagoas, a barragem Duas Bocas, na bacia do Rio Pratagy, e o Canal de Macrodrenagem, no bairro do Tabuleiro dos Martins, em Maceió. A parceria entre o governo do Estado e o Exército foi protocolada hoje, no Palácio República dos Palmares, na capital alagoana, mas a vistoria só será realizada daqui a uma semana. A empreiteira ganhou destaque na mídia após denúncias de que o proprietário, Zuleido Veras, comandava um esquema de fraudes em licitações e desvios de recursos de obras do governo, descobertos pela Operação Navalha, da Polícia Federal. A Gautama seria, então, o pivô da operação que envolveu políticos, empresários e funcionários públicos.   O general Mario Carvalho, chefe do Departamento de Engenharia e Construção do Exército, disse que o compromisso firmado com o Estado é apenas de averiguação das obras que estavam sob a responsabilidade da Gautama, que foi considerada inidônea para operar no Estado. Mas o secretário de Infra-Estrutura do Estado, Sérgio Moreira, contou que pretende ir além das averiguações e quer assinar um contrato com o Exército para conclusão das obras. Uma auditoria da Controladoria Geral do Estado (CGE) constatou irregularidades na parte contábil e contratual das obras da Gautama em Alagoas. O relatório sobre essa auditoria foi entregue à Procuradoria Geral do Estado para que sejam tomadas as ações jurídicas de responsabilização dos culpados. "Com a parceria do Exército, a auditoria será técnica e de engenharia, visando a conclusão das obras em questão", concluiu Moreira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.