Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Exército critica MP, PF, imprensa e surpreende FHC

A atuação do Ministério Público em Marabá, no Pará, que entrou em uma casa do Exército e recolheu documentos relativos à atuação da Força na região do Araguaia, foi criticada hoje pelo Comando do Exército, em ordem do dia lida em todas as unidades militares, em comemoração ao Dia do Soldado. O Exército ataca ainda a imprensa e a Polícia Federal, que agiu em nome do Ministério Público. A utilização de velhos hábitos, como a divulgação de ordens-do-dia para mandar recados, foi recebida com surpresa no Palácio do Planalto.O presidente Fernando Henrique Cardoso não tinha conhecimento da mensagem do comandante do Exército, Gleuber Vieira. Mas o Planalto preferiu não se pronunciar, já que tomou conhecimento da ordem do dia por meio de questionamentos vindos do exterior, pois a mensagem fora lida não só no Brasil, mas na embaixadas.Fazendo alusão a imagem do Patrono do Exército, o Duque de Caxias, o comandante lembra que o soldado sabe o quanto custa ser Caxias, que ?chefiou, liderou e conquistou sem possuir, desviando-se das luzes do sucesso e do poder que seduzem o homem comum?. ?Custa ver os valores que você preserva, constante e irresponsavelmente apresentados como apanágio de alguns cidadãos que falsamente se arrogam progressistas, patriotas e desprendidos, mas que, em verdade, comercializam e barganham ardilosas e escusas pretensões?, desabafou o general Gleuber.Segundo o general, esses cidadãos ?acobertam-se em conveniências pessoais, escondidos em títulos, valendo-se até da investidura da autoridade que exercem?. O comandante ressalta ainda que ?custa ser Caxias, quando presenciamos nossa instituição, responsável constitucionalmente pela garantia da lei e da ordem, ser atingida pelos que têm o dever de fiscalizar o cumprimento dos preceitos legais, sob a busca insensata dos efeitos da mídia?.Na ordem do dia, o general afirma também que ?custa ser Caxias quando se assiste à perversa inversão de valores de um regime de liberdades no qual só os direitos existiram e os deveres seriam postergados; quando há quem maximize e orquestre defeitos alheios, mascarando suas próprias intenções e vilanias; quando se vê a tentativa de degradação da justiça e as ameaças às estruturas constituídas?.Neste sábado, a ordem do dia será lida para o público durante solenidade de comemoração do dia do Soldado, em cerimônia no Setor Militar Urbano, em Brasília, na presença do ministro da Defesa, Geraldo Quintão e diversas autoridades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.