Exército afirma não ter vinculação política

A proximidade com as eleições levou o comandante do Exército , general Gleuber Vieira, a usar a mensagem em comemoração ao dia do Exército para dar uma recado à tropa. Na ordem do dia, o general diz que o Exército, que ?é devotado ao estrito cumprimento de sua destinação constitucional?, ?não faz concessões a nenhuma vinculação política?, e ?sobrepõe, em qualquer época, os interesses do Brasil às ambições pessoais e aos desejos menores?. A mensagem foi lida na cerimônia em comemoração ao dia do Exército, realizada no Setor Militar Urbano, na presença do presidente Fernando Henrique Cardoso e do presidente do Senado, Ramez Tebet.Fernando Henrique assistiu atentamente a solenidade e aplaudiu, de pé, as coreografias apresentadas pelos militares, que fizeram malabarismo com fuzis na frente do palanque. Pela primeira vez também uma banda se apresentou montada a cavalo.Na ordem do dia, depois de lembrar que o Exército tem uma presença constante e necessária na formação histórica do País, ressaltou que ele foi às guerras do Prata, lutou pela Independência, garantiu o Império e o êxito da Tríplice Aliança, fez a República e lhe deu sustentação.Em seguida, o general destaca que o Exército ?lutou e derrotou ideologias extremadas na Europa e em nossos próprios limites?. E prosseguiu: ?sempre vitorioso, continuou fiel representante da sociedade que livre escolhera o caminho democrático. Em cada momento de tensão, conquistou e garantiu a paz?.A ordem do dia diz ainda que ?sinônimo de incorruptível amor ao Brasil, o Exército não faz concessões a nenhuma vinculação política?. Pacificador por tradição, o Exército, de acordo com a mensagem, combate sem ódio, anistia e perdoa e, disciplinado, zela pelo valor profissional de seus quadros, não permitindo que interesses pessoais se sobreponham aos interesses do País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.