Exercícios físicos ajudam no combate ao colesterol

Altas taxas de colesterol no sanguesão a última coisa que um cardiologista quer encontrar em seupaciente. Não é difícil entender a razão: quando os níveis estãodescompensados, há o maior risco de depósito de gordura nosvasos, que, por sua vez, pode provocar enfarte do miocárdio eoutros acidentes vasculares. As alterações dos níveis sãoprovocadas por fatores genéticos, obesidade, agravados pelosedentarismo e pelo estresse.O colesterol divide-se em dois tipos. O HDL, popularmenteconhecido como o colesterol bom, e o LDL, conhecido como ruim. OHDL é a fração que médicos indicam que seja alta, no mínimo 35.Esse tipo de colesterol barra a ação do LDL, evitando que ele sedeposite nos vasos sanguíneos. A melhor maneira de se elevar osíndices de HDL é praticar regularmente atividades físicas.Estudos recentes mostram que exercícios físicos periódicostambém protegem pacientes dos efeitos nefastos provocados peloLDL. Nas pessoas ativas, o LDL é metabolizado duas vezes maisrapidamente do que entre os sedentários. "Hoje sabemos quequanto mais tempo o LDL circula pelo corpo, maior o risco deformação de ateromas", explica o diretor do Laboratório deMetabolismo de Lípides do Instituto do Coração, Raul CavalcantiMaranhão.Além da prática de exercícios, é essencial que pessoas comníveis altos de colesterol façam uma dieta com menor teor degorduras e mantenham o peso considerado ideal. Somente quandonenhuma dessas medidas dá resultados adequados, médicos indicamo uso de medicamentos. Eles podem trazer bons resultados, masnão dispensam a dieta, a redução de peso e os exercícios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.