Félix R./Futura Press
Félix R./Futura Press

Empresários presos na Lava Jato são levados para presídio no PR

Entre os transferidos estão os presidentes da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, e da Andrade Gutierrez, Otávio Marques de Azevedo

Edson Fonseca, Especial para O Estado

25 de julho de 2015 | 11h26

CURITIBA- Os oito executivos das empresas Odebrecht e Andrade Gutierrez, presos na 14ª fase da Operação Lava Jato, foram transferidos das celas da Polícia Federal em Curitiba para o Complexo Médico Penal em Pinhais (Região Metropolitana de Curitiba). A transferência ocorreu a pedido da própria Polícia Federal ao juiz Sérgio Moro, uma vez que as instalações não comportam tantos presos.

Entre os transferidos estão os presidentes da Odebrecht S.A, Marcelo Odebrecht e da Andrade Gutierrez, Otávio Marques de Azevedo. Os outros transferidos são Alexandrino de Alencar, ex-diretor da Odebrecht; César Ramos Rocha, ex-diretor da Odebrecht; Elton Negrão de Azevedo Júnior - executivo da Andrade Gutierrez; João Antônio Bernardi Filho, ex-funcionário da Odebrecht; Márcio Faria da Silva, ex-diretor da Odebrecht e Rogério Santos de Araújo, ex-diretor da Odebrecht.

O grupo vai se juntar aos ex-deputados André Vargas, Luiz Argôlo e Pedro Corrêa; ao ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto; aos lobistas Mário Góes, Adir Assad, Fernando Baiano e o ex-diretor da Petrobrás Renato Duque.

O Complexo Médico Penal, em Pinhais, fica na Região Metropolitana de Curitiba e tem celas com capacidade para seis presos, com seis camas e um vaso sanitário. Os chuveiros são coletivos. Os presos da Lava Jato estão sem contato com os demais internos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.