Executivos da Petrobrás terão 15 dias para se defender em ação sobre Pasadena

Executivos da Petrobrás terão 15 dias para se defender em ação sobre Pasadena

TCU aprovou nesta quarta-feira a citação nominal dos envolvidos na polêmica compra que causou prejuízo de US$ 792,3 milhões

NIVALDO SOUZA, Estadão Conteúdo

24 de setembro de 2014 | 17h57


Brasília - O Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou a citação nominal de executivos da Petrobrás no processo que apura irregularidades na compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, aprovado em julho pelos ministros da Corte administrativa. No relatório daquele mês ficou determinado o ressarcimento de US$ 792,3 milhões aos cofres da estatal, por prejuízos causados ao patrimônio da empresa pela aquisição da refinaria.

Com a decisão desta quarta, os executivos terão 15 dias para apresentar suas defesas por meio de documentos.

A Petrobrás, então, entrou com embargos de declaração sobre este relatório questionando o pedido do relator, ministro José Jorge, de indisponibilidade dos bens de executivos da empresa na época da compra de Pasadena. Entre eles, ex-presidente da estatal, José Sérgio Gabrielli; o ex-diretor da área Abastecimento, Paulo Roberto Costa; e o ex-diretor da área Internacional, Nestor Cerveró.

O ministro determinou, agora, "diante do fato de os embargos atacarem somente a questão da indisponibilidade de bens", a autuação dos executivos será feita pela Secretaria de Controle Externo da Administração Indireta (Secex) do Rio de Janeiro. Eles devem prestar esclarecimentos ao órgão fluminense sobre Pasadena. "Vamos citar todos os envolvidos em Pasadena invés de esperar", afirmou.

Eles deverão apresentar defesa documental. A lista inclui o atual diretor Financeiro, Almir Guilherme Barbassa; o ex-diretor de Serviços, Renato de Souza Duque; o ex-diretor de Exploração e Produção; e o ex-diretor de Área de Gás e Energia, Guilherme de Oliveira Estrella. "Podemos continuar ouvindo eles sobre as irregularidades", disse Jorge.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.