Executiva do PT deve decidir sobre suspensão e expulsão de Delcidio nesta sexta

Executiva do PT deve decidir sobre suspensão e expulsão de Delcidio nesta sexta

Em paralelo ao pedido de suspensão, deverá ser iniciado um processo de expulsão do senador, em que ele teria o direito a ampla defesa

Erich Decat, O Estado de S.Paulo

01 de dezembro de 2015 | 18h25

BRASÍLIA - Em conversas realizadas com integrantes da PT em Brasília, o presidente nacional da legenda, Rui Falcão, deu sinais de que pretende apresentar na próxima reunião da Executiva, prevista para sexta-feira, 4, pedido de suspensão do senador Delcídio Amaral (PT-MS).

O encontro entre o dirigente e alguns representantes do partido ocorreu ontem na sede do PT, na capital federal. Em paralelo ao pedido de suspensão, deverá ser iniciado um processo de expulsão do senador, em que ele teria o direito a ampla defesa. Desde a última quarta-feira,25, Delcídio está preso em Brasília, acusado de atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato.

Até a véspera da reunião da Executiva, o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), deve ter em mãos o resultado de uma sondagem que ele iniciou hoje em que questiona os senadores do partido se são a favor do afastamento de Delcídio e da abertura de um processo por quebra de decoro no Conselho de Ética do Senado.

A tendência é que a maioria da bancada se posicione a favor em ambas as questões, o que poderá gerar um constrangimento interno, caso os deputados do partido, que compõe o Conselho de Ética da Câmara, votem na tarde de hoje contra o prosseguimento do processo por quebra de decoro parlamentar do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Cunha é acusado de ter mentido à CPI da Petrobras, quando negou ter contas no exterior.

Assim como no caso de Eduardo Cunha, um futuro processo no Conselho de Ética do Senado poderá levar à perda do mandato de Delcídio, o que na avaliação de alguns petistas levará o partido ao limite da incoerência, quando de um lado poderá ajudar a salvar Cunha e por outro jogar Delcídio "ao mar".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.