Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Executiva do PSDB decidirá sobre prévias para governo de SP, diz Doria

'Minha advocacia é sempre pela realização de prévias', disse o prefeito, que ponderou:'Mas quem decide é o partido'

Marcelo Osakabe, O Estado de S.Paulo

05 Março 2018 | 15h39

 No dia em que o PSDB de São Paulo reúne sua executiva para definir a realização ou não das prévias para a sucessão do governador Geraldo Alckmin, o prefeito João Doria se esquivou novamente de declarar se vai ou não se candidatar ao posto.

+ Prefeitura vai acabar com bolsa para usuários de drogas do programa Braços Abertos

Questionado sobre qual posição vai defender no encontro desta segunda-feira, 5, Doria lembrou que concorreu e venceu as prévias para a Prefeitura em São Paulo em 2016. "Minha advocacia é sempre pela realização de prévias", disse, para em seguida ponderar: "Mas quem decide é o partido. A reunião de hoje é soberana e vai decidir sobre a manutenção da realização das prévias".

+ Tucanos anti-Doria admitem tendência dele ser candidato do PSDB ao governo

Nas últimas semanas, aliados do prefeito atuaram nos bastidores para demover os demais postulantes à sucessão do governo estadual. O intuito é tornar o prefeito candidato por "aclamação", sem que ele precisasse passar pelo desgaste de anunciar sua candidatura. Além de Doria, disputam nomeação do PSDB o presidente do Instituto Teotônio Vilela, José Aníbal, o secretário de Desenvolvimento Social, Floriano Pesaro, e o sociólogo Luis Felipe D'Ávila.

+ Por TV, Alckmin atrai base de Temer

O tucano, que participou nesta segunda-feira de um evento para comemorar um ano de existência da Nota do Milhão, programa de loteria criado pela Prefeitura em parceria com a Caixa, lembrou ainda que, se forem realizadas, as prévias aconteceriam em 18 e 22 de março. As datas favorecem Doria, que não precisaria deixar o cargo para disputar a nomeação.

Questionado se continuaria doando seu salário caso chegasse ao Palácio dos Bandeirantes, a exemplo do que acontece hoje na Prefeitura, Doria respondeu: "Quem sabe. O futuro vai dizer". 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.