Exames de laudo da UNB são usados em parecer da Câmara sobre Genoino

Junta médica da Casa utiliza exames feitos pela equipe que considerou que petista pode ficar na prisão; tendência é de que servidores da Câmara peçam laudo conclusivo apenas em janeiro

Erich Decat, Agência Estado

27 de novembro de 2013 | 15h27

Brasília - Previsto para ser apresentado na tarde desta quarta-feira, 27, na Câmara dos Deputados, o parecer da junta médica da Casa sobre o quadro de saúde do deputado licenciado José Genoino também tem como base exames feitos pela equipe da Universidade de Brasília (UNB).

No laudo, encaminhado na terça ao Supremo Tribunal Federal (STF), cinco médicos especialistas em cardiologia da UNB concluíram que o petista não tem cardiopatia grave e que sua permanência em regime de prisão domiciliar para tratamento não é imprescindível.

A avaliação foi feita no último sábado, 23 e, segundo o Broadcast Político apurou, a documentação foi repassada para a junta médica da Câmara. A junta, composta por quatro médicos, avaliou Genoino na segunda-feira, 25, a pedido do presidente da Câmara Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) em resposta ao pedido de aposentadoria por invalidez solicitada pela defesa do parlamentar, licenciado desde julho, quando foi submetido a uma cirurgia no coração.

A junta da Câmara deve apresentar um posicionamento nesta quarta a respeito do pedido de aposentadoria do petista. "O prognóstico do Genoino é bom, mas devem ser acompanhado os efeitos futuros", disse uma pessoa que acompanha a elaboração do parecer da Câmara.

A tendência é que, assim como foi feito em setembro, os servidores peçam que um laudo conclusivo sobre o pedido de aposentadoria do petista seja emitido apenas em janeiro de 2014, quando se completa o prazo de seis meses desde a operação no coração de Genoino.

Tudo o que sabemos sobre:
mensalãoJosé Genoino

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.