Ex-vice do Banco Rural é condenado pelo STF a 16 anos e 8 meses de prisão

José Roberto Salgado respondeu pelos crimes de formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta e evasão de divisas

Eduardo Bresciani, O Estado de S. Paulo

14 de novembro de 2012 | 17h46

BRASÍLIA - O Supremo Tribunal Federal (STF) condenou nesta quarta-feira, 14, José Roberto Salgado, ex-vice-presidente operacional do Banco Rural, a penas que, somadas, chegam a 16 anos e 8 meses de prisão. Ele foi condenado por formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, gestão fraudulenta e evasão de divisas. As multas aplicadas a Salgado ultrapassariam R$ 1 milhão.

As penas de prisão aplicadas a ele foram as mesmas que tinham sido fixadas a Kátia Rabello, ex-presidente e acionista do banco. Nos quatro crimes foram escolhidas as sanções propostas pelo relator, Joaquim Barbosa. Alguns dos ministros, porém, afirmaram que poderão numa fase posterior reunir alguns dos crimes em continuidade delitiva. Com isso, as penas não seriam somadas, adotando-se a punição mais alta e aplicando um agravante.

Salgado foi condenado a 2 anos e 3 meses de prisão por formação de quadrilha, 5 anos e 10 meses por lavagem de dinheiro, 4 anos por gestão fraudulenta e 4 anos e 7 meses por evasão de divisas.

Tudo o que sabemos sobre:
MensalãoBanco RuralcorrupçãoSTF

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.