Ex-tenente-coronel é condenado a 27 anos de prisão

O ex-tenente-coronel da Polícia Militar (PM) de Alagoas Manoel Francisco Cavalcanti foi condenado hoje a 27 anos e 2 meses de prisão - 19 anos e 6 meses por ter sido mandante do assassinato do vigilante Ebson Vasconcelos, mais conhecido como Êto; 3 anos e 6 meses por lesões corporais graves contra o jovem Charles Iório Gomes Ferro (atingido pelos disparos na emboscada ao vigilante), e 4 anos por formação de quadrilha, uma vez que liderava uma organização criminosa conhecida como "gangue fardada", responsável por vários crimes de pistolagem, roubo e desmanche de carros no Estado.A sentença foi proferida pelo juiz José Braga Neto. Os advogados de Cavalcante disseram que recorrerão da sentença. Eles têm cinco dias para interpor o recurso. O promotor de Justiça Alfredo Gaspar de Mendonça Filho disse que a condenação representa uma vitória da sociedade na luta contra o crime organizado em Alagoas.O conselho de sentença foi formado por sete jurados - seis homens e uma mulher. Após o julgamento, o ex-tenente-coronel da PM de Alagoas foi levado de volta para a carceragem da Polícia Federal (PF), de onde deve ser transportado para Catanduvas (PR), local em que cumpre pena por outros crimes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.