Ex-sócio de Jader responderá a processo em liberdade

O empresário José Osmar Borges vai responder às acusações de desvio de verbas da Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) em liberdade. Seus advogados conseguiram nesta quarta-feira à noite no Tribunal Regional Federal relaxar seu pedido de prisão. Borges foi preso nesta terça-feira à noite no interior de Mato Grosso, acusado de desviar R$ 133 milhões da Sudam. O ex-sócio da mulher do senador Jader Barbalho (PMDB-PA) prestou depoimento que durou cinco horas nesta quarta na sede da Polícia Federal em Cuiabá. O conteúdo das suas declarações não foi revelado. José Osmar Borges, proprietário do Grupo Saint Germany, vai responder à acusação de desviar recursos de financiamentos concedidos pela Sudam.Apontado como um dos maiores fraudadores da Sudam, o empresário foi indiciado na Polícia Federal nos crimes de falsificação de documentos, crime contra o sistema financeiro e formação de quadrilha. No início da noite o procurador da República, Pedro Taques, não acreditava que Borges conseguisse habeas-corpus.Indignado ante a possibilidade de Borges ser libertado ainda nesta quarta-feira por decisão do Tribunal Regional Federal, ele disse: "Ministro nenhum do TRF pode questionar as decisões tomadas pela Justiça Federal, embasadas em documentos do Ministério Público". Foi o procurador quem pediu a prisão temporária de José Osmar Borges e outros cinco envolvidos em desvios de recursos da autarquia. Nesta quarta-feira, o TRF concedeu "habeas-corpus" para o sócio de Osmar Borges, Alberto Coury Júnior."Se realmente ele (Osmar Borges) for solto, aconselho que todos os cidadãos tomem empréstimo na Sudam", disse o procurador. "Penso que ele não continue preso. Segundo os advogados, o habeas-corpus já saiu", disse o procurador, irritado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.