Ex-senador Gilvan Borges é detido por crime ambiental

O ex-senador e líder da oposição ao governo do Amapá, Gilvan Borges (PMDB) foi detido hoje em Macapá pela Polícia Ambiental acusado da prática de crime ambiental. Ele comandava uma retirada de aterro na zona norte de Macapá. O material seria usado para pavimentar uma via que ele pretende abrir para desafogar o trânsito. "O governo não faz eu tenho que fazer", disse ele. Desde que perdeu o mandato de senador no final de novembro, Borges intitulou-se líder da oposição. Na semana passada criou um governo paralelo e anunciou que ia fazer obras "em benefício do povo". A primeira delas seria a abertura de uma via alternativa, ligando dois bairros da zona norte da cidade para desafogar o trânsito na rodovia estadual Duca Serra.

ALCINÉA CAVALCANTE, Agência Estado

12 de janeiro de 2012 | 19h43

Hoje à tarde, quando iniciava a retirada de aterro, foi flagrado pela Polícia Ambiental, que além de detê-lo apreendeu o trator que estava sendo usado. Foi detido também o operador do trator. Por telefone, da Delegacia onde está detido aguardando para prestar depoimento, Borges disse à Agência Estado que possui a licença ambiental e que sua detenção não passa de "perseguição" do governo. E ameaçou: "Agora mesmo que eles (o governo) vão se lascar na minha mão"."Fui preso porque quero salvar vidas", exagerou, lembrando que ano passado ocorreram 150 acidentes de trânsito com 15 vítimas fatais na rodovia Duca Serra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.