Ex-secretário rebate acusações de extorsão

O secretário de Comunicação durante o governo de Celso Pitta (PTN). AntenorBraido, afirmou desconhecer o esquema de extorsão no Módulo 1 do Plano de Atendimentoà Saúde (PAS), denunciado por um empresário. Braido disse ainda que, se houvesse talesquema, os "petistas teriam conhecimento". "Noventa por cento dos funcionários daSecretaria da Saúde são do PT (partido da atual prefeita, Marta Suplicy). Semantinham um esquema de extorsão, o PT sabia", disse Braido.A denúncia do empresário motivou a intervenção, anunciada há pouco, da SecretariaMunicipal da Saúde no Módulo 1. O nome do empresário que fez a denúncia está sendomantido em sigilo, porque ele está sendo ´´ameaçado de morte", segundo o ouvidor daPrefeitura, Benedito Mariano.Para Braido, o empresário não fez a denúncia antes, ainda durante a administraçãoPitta (1997-2000), porque "provavelmente está envolvido no esquema" se este existir."Ou ele é um babaca ou é um ladrão", afirmou. Sobre os prejuízos constatados por auditoria no Módulo 1 do PAS, Braido afirmou que"as dívidas aconteceram porque o governo federal não repassou dinheiro" à Prefeitura.Segundo ele, R$ 200 milhões teriam deixado de ser repassados anualmente, desde ofinal de 1996.O ex-secretário afirmou também que o repasse do governo federal não acontecia devidoà uma "vingança" do atual ministro da Saúde, José Serra. "Ele perdeu a eleição para oPitta (em 1996) e por isso está se vingando", disse Braido.Segundo Braido, o ex-prefeito Celso Pitta está em viagem, na cidade americana deMiami. De acordo com ele, o ex-prefeito retornará ao Brasil dentro de um mês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.