Ex-procurador deixa Comissão Nacional da Verdade

O ex-procurador da República Cláudio Fonteles enviou nesta terça-feira carta à presidente Dilma Rousseff para comunicar o afastamento da Comissão Nacional da Verdade. Fonteles divergia de outros integrantes do grupo formado em 2012 para investigar os crimes do Estado de 1946 a 1988, ao defender a divulgação e publicidade das investigações. O governo ainda não se pronunciou sobre o desligamento.

LEONENCIO NOSSA, Agência Estado

18 Junho 2013 | 15h25

Com a saída dele, a comissão perde o segundo dos sete integrantes que começaram o trabalho em maio de 2012. O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Gilson Dipp foi o primeiro a deixar o grupo. As duas cadeiras estão vagas. Em nota, a coordenadora da comissão, Rosa Cardoso, disse que estava do mesmo lado de Fonteles. "Lamento, profundamente, a saída de Cláudio e enfatizo que ele não teve, não tem e não terá nenhuma divergência comigo. Gostaria muito que ele continuasse conosco", destacou. A divergência do ex-procurador da República era com o diplomata e acadêmico Paulo Sérgio Pinheiro e e o advogado criminalista José Carlos Dias.

Mais conteúdo sobre:
Comissão da Verdade Fonteles Dilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.