Ex-presidente mantém contato com a política, diz presidente de Instituto Lula

Paulo Okamotto relatou ainda que Lula está bem humorado e feliz pela vitória, no domingo, do Corinthians sobre o Atlético-MG

Gustavo Uribe, da Agência Estado

21 de novembro de 2011 | 16h38

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mesmo em tratamento contra um câncer na laringe, tem mantido conversas regulares com membros do governo federal e com dirigentes do PT. A informação é do presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, que visitou o ex-presidente na tarde desta segunda-feira, 21, no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista. "Ele está inteirado e presente no cenário político brasileira", afirmou.

Okamotto relatou ainda que Lula está bem humorado e feliz pela vitória, no domingo, do Corinthians contra o Atlético-MG, pelo Campeonato Brasileiro. O ex-presidente teria dito ainda que acredita que o time paulista será o campeão do torneio. "O presidente está bem humorado e o time dele ganhou ontem", contou.

O presidente do Instituto Lula afirmou que o petista tem recebido muitas mensagens de apoio, tanto de políticos quanto da população. Segundo ele, Lula tem recebido a recomendação, em cartas e e-mails, a comer certos alimentos e recebido textos de orações. "E tem fábricas que pararam na hora do almoço para orar pela saúde dele", relatou. Okamotto disse ainda que, até o momento, Lula não tem nenhum compromisso público previsto. "Primeiro, ele vai tratar da saúde." O ex-presidente inicia na tarde desta segunda-feira o segundo ciclo de quimioterapia que faz parte do tratamento contra um câncer de laringe, diagnosticado em outubro.

Antes da quimioterapia, o paciente foi submetido a exames clínicos e almoçou. O cardápio incluiu bife, arroz, salada, purê de batata e gelatina. A previsão da equipe médica é de que Lula durma no hospital e receba alta na terça-feira, 22, à tarde, quando deverá retornar para seu apartamento em São Bernardo do Campo (SP). O ex-presidente está internado no mesmo quarto onde esteve o ex-vice-presidente José Alencar, que travou uma longa batalha contra um câncer no abdômen e morreu em março deste ano.

Lula tem nas últimas semanas permanecido em seu apartamento, onde tem recebido autoridades e amigos. A equipe médica pretende insistir, nos próximos dias, para que o ex-presidente saia de sua residência e volte a levar uma rotina normal, inclusive despachando na sede do Instituto Lula, em São Paulo.

A presidente Dilma Rousseff, segundo alguns médicos, tem entrado em contato para receber informações sobre o estado de saúde de Lula. O petista recebeu na manhã desta segunda-feira a visita do ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, e a expectativa é de que ele receba ainda o ex-ministro-chefe da Casa Civil Antonio Palocci. Um boletim médico deve ser divulgado no final desta tarde.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Lulacâncertratamentopolítica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.