Ex-presidente do Senado questiona Sarney no cargo

'Se estivesse numa situação dessas, pelo menos pediria uma licença', afirma Garibaldi em entrevista

Christiane Samarco, de O Estado de S.Paulo,

30 de junho de 2009 | 16h07

Apesar do apoio que a maioria da bancada do PMDB ainda mantém ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP) - pressionado por denúncias de irregularidades -, o senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), ex-presidente da Casa, questionou a conveniência da permanência dele no cargo.

 

Veja também:

som Ouça o discurso de Simon pedindo afastamento de Sarney

especialESPECIAL MULTIMÍDIA: Entenda os atos secretos e confira as análises

lista Confira a lista dos 663 atos secretos do Senado

documento Leia a íntegra da defesa do presidente do Senado

lista O ESTADO DE S. PAULO: Senado acumula mais de 300 atos secretos

lista O ESTADO DE S. PAULO: Neto de Sarney agencia crédito no Senado

linkPSOL protocola representação contra Sarney e Renan

linkNo Twitter, Agripino se antecipa e recomenda licença

 

"Cada um decida à sua maneira, mas eu, se estivesse numa situação dessas, pelo menos pediria uma licença, ainda que corresse o risco de não voltar (ao cargo)", afirmou Garibaldi, em entrevista, antes de entrar na sala da Liderança do PMDB no Senado para uma reunião com os colegas sobre a crise.

 

A reunião dos senadores do PMDB foi convocada depois que o DEM decidiu pedir o afastamento temporário de Sarney da presidência até a conclusão das investigações sobre denúncias de irregularidades na Casa.

 

A bancada do PMDB no Senado vai se reunir  na liderança do partido. A reunião foi convocada, depois que o DEM decidiu pelo afastamento temporário do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), até a conclusão das investigações sobre irregularidades na Casa.

 

O PMDB estava contando com o apoio a Sarney de cerca de 50 dos 81 senadores. Agora sem os 14 senadores do DEM, o PMDB vai ter que refazer as contas e pretende reafirmar o apoio ao presidente da Casa. A ideia é fazer uma nota oficial da bancada reafirmando esse apoio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.