Rodrigo Félix/Estadão
Rodrigo Félix/Estadão

Ex-presidente do DER-RJ diz desconhecer propina a Cabral

Henrique Alberto dá depoimento na Justiça Federal como testemunha de defesa de ex-governador do Rio

Mariana Sallowicz, O Estado de S.Paulo

11 de abril de 2017 | 16h14

RIO - O ex-presidente do Departamento de Estradas e Rodagens (DER-RJ) Henrique Alberto afirmou em depoimento à Justiça nesta terça-feira, 11, não ter conhecimento do recebimento de vantagem econômica indevida em obras pelo ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB), alvo da Operação Calicute.

Alberto foi chamado para depor como testemunha de defesa de Cabral. O ex-presidente da DER-RJ ocupou o cargo de 2007 a 2014. Ele também negou interferência de Cabral em licitações para indicar empresas. "Ao que compete ao DER nunca houve (a interferência)", afirmou.

As licitações do DER são feitas por uma comissão do órgão. As indicações dos membros dela são feitas pelo presidente. Questionado se tinha liberdade total para atuar, ele negou. "Nunca se tem autonomia decisória total. Na questão financeira, não tinha", disse Alberto.

Outra testemunha convocada pela defesa de Cabral não compareceu nesta terça, mas teve audiência remarcada para o dia 24, às 15h. Sérgio Lins Andrade, um dos sócios da Andrade Gutierrez, não foi localizado pelo oficial de Justiça, mas após ser contatado pela Justiça aceitou prestar o depoimento posteriormente. Andrade será a última testemunha a ser ouvida no âmbito da Calicute. Na sequência, terão início os interrogatórios.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.