Ex-presidente da Valec deixa a prisão em Goiás

O ex-presidente da Valec José Francisco das Neves, o Juquinha, foi libertado na noite desta segunda-feira pela Polícia Federal após cumprir prisão temporária de cinco dias na carceragem da PF em Goiânia. O ex-dirigente da Valec entre 2003 e 2010 foi preso na semana passada durante a Operação Trem Pagador. Ele foi acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de superfaturar trecho da Ferrovia Norte-Sul, em Goiás.

RUBENS SANTOS, Agência Estado

10 de julho de 2012 | 20h49

Além de Juquinha, também foram libertados Marivone Ferreira das Neves, Jader e Karen Ferreira das Neves, respectivamente mulher e filhos do ex-dirigente da estatal.

Durante as investigações, o MPF concluiu que um vasto patrimônio, avaliado em R$ 60 milhões, foi posto em nome do ex-dirigente, parentes e laranjas.

De acordo com procurador federal Hélio Telho, o dinheiro resultou do superfaturamento de um trecho da Ferrovia Norte-Sul, em Goiás, entre os municípios de Santa Isabel e Uruaçu, na região Norte do Estado. O superfaturamento gerou R$ 100 milhões em desvios dos recursos públicos, segundo o MPF.

"A operação resultou num conjunto de medidas de investigação", disse Hélio Telho.,

As autorizações para a Operação Trem Pagador foram dadas pela 11.ª Vara da Justiça Federal em Goiânia, a mesma que conduz o processo na Monte Carlo.

Foram localizados e apreendidos bens que teriam sido obtidos por meio ilícito. "Trata-se de uma inovação em matéria de combate aos crimes do colarinho branco", explicou o procurador.

Uma lista de bens foram bloqueados pela Justiça Federal. Entre eles estão as fazendas Apoena I e II, no Tocantins, avaliadas em R$ 3,3 milhões. A maioria dos imóveis, de Juquinha, e dos demais envolvidos no caso, foram comprados depois que ele assumiu a Valec.

Na sexta-feira, a Justiça Federal mandou soltar o empresário Marcelo Araújo Cascão, também preso pela Operação Trem Pagador sob suspeita de lavagem de dinheiro e envolvimento com o ex-presidente da Valec. A própria PF manifestou-se pela revogação da prisão temporária.

Tudo o que sabemos sobre:
Operaçãotrem pagadorprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.