Ex-presidente da Petrobrás repudia ligação com 'práticas criminosas'

José Eduardo Dutra, que presidia a estatal quando Paulo Roberto Costa assumiu a diretoria de Abastecimento, divulgou nota na qual nega ter praticado irregularidades

Antonio Pita, O Estado de S. Paulo

09 de outubro de 2014 | 16h03

 Rio - O diretor da Petrobrás José Eduardo Dutra divulgou na tarde desta quinta-feira, 9, nota à imprensa para esclarecer informações do depoimento de Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da estatal, em audiência sobre o esquema de desvio e lavagem de recursos investigado pela Operação Lava Jato. Filiado ao PT e atual diretor Corporativo e de Serviços da Petrobrás, Dutra diz "repudiar quaisquer ligações que procurem vincular meu nome a práticas criminosas". 

Na nota, Dutra afirma que um advogado da Petrobrás, Carlos Fontes, acompanhou os depoimentos de Costa e outros nove citados na ação penal que investiga denúncias de corrupção envolvendo empreiteiras e prestadoras de serviço na obra da Refinaria Abreu e Lima (Rnest), em Pernambuco. "(Ele) constatou que o meu nome foi citado uma única vez pelo ex-diretor de Abastecimento no contexto de 'indicações políticas para diretoria da Petrobrás', não tendo havido posteriormente qualquer citação ao meu nome em irregularidades investigadas pela operação", diz o documento. 

"Minhas vinculações com o PT são públicas e notórias, bem como os períodos em que ocupei a presidência da Petrobrás, BR Distribuidora e, atualmente, a Diretoria Corporativa da Petrobrás. Repudio quaisquer ilações que procurem vincular meu nome a práticas criminosas e tomarei as providências judiciais cabíveis", informa o comunicado, assinado pelo próprio José Eduardo Dutra, e encaminhado à imprensa pela assessoria da Petrobrás.

Procurado durante toda a manhã, Dutra não se pronunciou sobre as declarações do ex-colega de diretoria da Petrobrás. Costa teria afirmado que outros diretores da companhia também mantinham esquemas paralelos de cobrança de comissão nos contratos com empresas fornecedoras, citando as áreas de gás e energia, de serviços e também de produção. 

Segundo o ex-diretor de abastecimento, no depoimento, "Outras diretorias como gás e energia e produção também eram do PT". Costa também afirma que "tinha PT na diretoria de Produção, Gás e Energia e na área de Serviços. O comentário que pautava a companhia nesses casos era que 3% iam diretamente para o PT."

Dutra foi presidente da estatal entre 2003 e 2005, quando foi substituído por José Sérgio Gabrielli, atual secretário estadual de Planejamento da Bahia. Dutra também foi senador pelo PT em Sergipe, entre 1995 e 2003. Após deixar a Petrobrás, ele assumiu a presidência do Partido entre 2010 e 2011. Desde 2012, ele ocupa o cargo de diretor corporativo e de serviços da estatal. Ele tomou posse após a saída dos ex-diretor de serviços, Renato Duque, já durante a gestão da atual presidente, Graça Foster. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.