Ex-petistas iniciam movimento para formar novo partido

Os parlamentares expulsos pelo Partido dos Trabalhadores no ano passado - João Fontes, Babá, Luciana Genro e a senadora Heloísa Helena - e intelectuais promoveram, na última sexta-feira, ato político denominado "Construíndo um novo partido de esquerda", para debater a criação de uma nova legenda. Segundo Babá, não há possibilidade de uma aliança futuro, desse novo partido, com o PT. "A linha que o PT tomou é irreversível", disse. O debate foi aberto com as palavras do sociólogo da Universidade de São Paulo, Francisco de Oliveira, defendendo que este é o momento de recuperar "a grande tradição socialista iniciada na Comuna de Paris". Na opinião do sociólogo, o desafio que o novo partido terá pela frente será o de "superar um sistema que está colocando duas sondas em Marte", disse completando que o passado deve ficar para trás. "Nosso problema é o futuro". O sociólogo da Unicamp, Ricardo Antunes,concorda com Oliveira. "O passado nos divide e o futuro nos aproxima", afirmou Antunes.O professor de filosofia da Unicamp, Roberto Romano, salientou que o novo partido deve se preocupar em trazer algo novo com relação às experiências socialistas anteriores. "Não podemos ser convencionais", observou argumentando que é preciso "escandalizar". Para Arantes, épreciso algo novo como foi o Iluminismo, o Capitalismo e Neoliberalismo.A senadora Heloisa Helena, última a discursar, respondeu ao professor dizendo que a novidade será "a luta como uma forma de escandalizar". "O não pagamento da dívida externa já vai ser um escândalo", completou a senadora. A criação da nova legenda política, no entanto, ainda está em fase de debates. O objetivo é realizar atos políticos como o de ontem, em todas capitais brasileiras antes dos dias 5 e 6 junho, data do encontro nacional do partido. Até lá o partido já deverá ter uma sigla. Partido Socialista, Partido da Aliança Socialista e Partido da Esquerda Socialista são as denominações em disputa. Após o encontro nacional o novo partido entrará na fase de arrecadação de assinaturas para depois buscar a oficialização.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.