Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Ex-mulher comprou 14 imóveis quando casada com Bolsonaro e pagou parte em dinheiro vivo, diz revista

Ana Cristina Siqueira Valle não tinha terreno, casa ou apartamento antes de se envolver com o então deputado federal, em 1997, segundo a 'Época'

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de julho de 2020 | 16h20

RIO - Segunda ex-mulher do presidente Jair Bolsonaro, Ana Cristina Siqueira Valle adquiriu 14 imóveis enquanto esteve casada com ele, entre 1997 e 2008. Dentre eles, cinco foram comprados com dinheiro vivo, segundo reportagem da revista Época.

Ana Cristina é investigada pelo Ministério Público do Rio pela suspeita de ter sido funcionária fantasma do gabinete do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho de outro casamento do presidente, na Câmara do Rio. Ela foi lotada no gabinete entre 2001 e 2008.

De acordo com a revista, Ana Cristina não tinha nenhum imóvel antes de se envolver com o então deputado federal Bolsonaro, em 1997. Os 14 bens adquiridos entre aquele ano e 2008, quando se separaram em confronto, somariam R$ 5,3 milhões, em valores corrigidos. Esses imóveis incluem apartamentos, casas e terrenos, apontou a reportagem. Os dois têm um filho juntos, Jair Renan.

O próprio Bolsonaro não tinha patrimônio vultoso registrado antes do casamento com Ana Cristina. Possuía apenas dois apartamentos no Rio e um terreno em Angra dos Reis. Foi na década de duração do vínculo entre os dois  que o casal passou a acumular patrimônio.

Além da ex-mulher, outros membros da família Siqueira Valle integraram os gabinetes da família Bolsonaro. Eles também são investigados pelo MP – tanto no inquérito contra Carlos quanto na apuração do caso Queiroz, que mira o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ). A Promotoria apresentou, na investigação, indícios de que esses parentes chegavam a transferir quase a totalidade dos salários como assessores para Fabrício Queiroz, o suposto operador de Flávio no esquema.

Durante a eleição de 2018, a revista Veja revelou um processo movido por Ana Cristina contra Bolsonaro em que ela o acusa de ocultar patrimônio. Além disso, a ex-mulher também dizia que o atual presidente havia furtado um cofre de banco, recebido pagamentos não declarados e agido com “desmedida agressividade”. Depois, Ana Cristina se desmentiu. Atribuiu as acusações à separação conflituosa. Em 2018, ela já tinha se reconciliado com o ex-marido.

O advogado Magnum Cardoso, que defende Ana Cristina Valle, informou que sua cliente não responderia às questões da revista. Segundo ele, “há evidente descompasso entre a realidade dos fatos e as ilações provocadas nesses questionamentos (feitos pela revista)”. Cardoso disse que repudia “com veemência qualquer afirmação, de quem quer que seja, indicando a prática de qualquer ato ilícito por parte de Ana Cristina Siqueira Valle”.

Tudo o que sabemos sobre:
Jair BolsonaroAna Cristina Valle

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.