AE
AE

Ex-mulher cobra dívida de R$ 300 mil de Collor

Débito é referente a pensões atrasadas, que ficaram em aberto desde que a Justiça estipulou um valor mensal

De Ricardo Rodrigues, correspondente em Maceió

17 de novembro de 2011 | 20h57

A ex-primeira dama do País, Rosane Collor, cobra uma indenização de R$ 300 mil do ex-marido, o senador e ex-presidente Fernando Collor de Mello (PTB/AL), por conta de um divórcio litigioso que já se arrasta há anos na Justiça. O processo corre em segredo de justiça. O débito, de acordo com Rosane, é referente a pensões atrasadas, que ficaram em aberto desde que a Justiça estipulou o valor da pensão mensal que ela iria receber a partir de janeiro deste ano, quando ganhou a ação movida contra o ex-marido na Justiça Estadual de Alagoas.

 

Na época o ex-presidente alegava que tinha uma renda mensal de R$ 25 mil, mas para Rosane esse valor é irrisório diante do padrão de vida do ex-marido. "Como ele diz que ganha R$ 25 mil e tem quatro casas... Casa em Maceió, casa em Brasília, casa em São Paulo... Tem casa em Miami. Uma pessoa que retira, como ele disse que retirava, disse na Justiça, que tirava R$ 25 mil, como mantém quatro casas?", questionou Rosane em entrevista à imprensa. Segundo ela, a situação do ex-marido é "privilegiadíssima". "Ele não paga por que não quer, pois R$ 300 mil não é nada para ele", acrescentou.

De acordo com informações do Tribunal de Justiça, Rosane Collor venceu a disputa judicial contra Collor, no começo deste ano, quando foi estipulada uma pensão de 30 salários mínimos para ela e mais alguns bens imóveis a título de indenização, mas o advogado do ex-presidente teria recorrido ao Supremo Tribunal de Justiça (STJ), onde o caso estaria tramitando.

 

Na Justiça de Alagoas, Collor tentou várias vezes parar de pagar a pensão alimentícia para a ex-mulher. Ele já havia conseguido uma vitória na primeira instância, mas o advogado de Rosane apresentou um recurso, que foi julgado em favor da sua cliente. Além de manter a generosa pensão mensal, Rosane também teve direito a receber dois apartamentos e dois carros de Collor no valor de R$ 950 mil. Como teria decidido recorrer da decisão, o ex-presidente aguarda que o Superior Tribunal de Justiça resolva o impasse. No entanto, o tempo conspira contra ele, porque a demora no desfecho do caso tem irritado a ex-primeira dama, que cada vez que concede uma entrevista agrava ainda mais a situação litigiosa com o ex-marido.

 

Os dois foram casados por mais de 20 anos, mas não tiveram filhos. Filiada ao PV, Rosane pensa em se candidatar a vereadora por Maceió, mas disse que só decide se entra na disputa no começo de 2012. A reportagem do Estadão tentou ouvir o advogado Fábio Ferrário que defende Collor nessa questão, mas ele não foi localizado. No Tribunal de Justiça de Alagoas os desembargadores evitar dar declarações sobre o processo, alegando que o caso corre em segredo de Justiça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.