Divulgação
Divulgação

Ex-miss Brasil é nomeada secretária-adjunta de Turismo no Rio Grande do Sul

Gabriela Markus disse que pretende 'surpreender' quem acredita que mulheres bonitas não estão aptas a ocupar um cargo político

Gabriela Lara e Elder Ogliari, correspondentes, O Estado de S. Paulo

13 Janeiro 2015 | 18h41

Porto Alegre - A ex-miss Brasil 2012 Gabriela Markus, de 26 anos, é a nova secretária-adjunta de Turismo, Esporte e Lazer do Rio Grande do Sul. Sua nomeação foi publicada nesta terça-feira, 13, no Diário Oficial do Estado. Filiada ao PMDB do governador José Ivo Sartori, ela concorreu a deputada estadual nas eleições de outubro, fez 26,3 mil votos e não se elegeu.

Gabriela é estudante do oitavo semestre de Engenharia de Alimentos na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, mas pediu transferência para o curso de políticas públicas, que pretende começar em março. Em entrevistas concedidas ao longo desta terça-feira, ainda espantada com a repercussão causada pela sua nomeação, disse que pretende "surpreender" quem acredita que mulheres bonitas não estão aptas a ocupar um cargo político. 

Em conversa com o Estado, afirmou que o tempo de miss ficou para trás e que desistiu de investir em uma carreira artística porque seu perfil está mais relacionado à área política. "Eu não era modelo antes de ser miss, isso já demonstra um pouco da minha personalidade", disse. Ela pediu um pouco de tempo para mostrar à sociedade o que pode fazer no governo.

Apesar de não ter experiência profissional em nenhuma das áreas administradas pela pasta, Gabriela acredita que o aprendizado adquirido nas viagens internacionais que fez cumprindo os compromissos como Miss Rio Grande do Sul e Miss Brasil poderá ser aproveitado na nova função, para contribuir principalmente com o setor de turismo.

A jovem vem de uma família de políticos - seu pai foi vereador de Teutônia e um tio é prefeito de Paverama, ambas cidades do interior gaúcho. Segundo ela, o histórico familiar também pesou na decisão de seguir este caminho. "Crianças que crescem nesse meio entendem mais a necessidade de buscar uma política diferente, do bem", revelou. "Gostaria de influenciar as pessoas da minha idade a ter mais interesse pela política."


O governador José Ivo Sartori foi alvo de críticas quando decidiu unir a secretária de Turismo com a de Esporte e Lazer, com o objetivo de enxugar a máquina pública e cortar gastos. Depois, a indicação do próprio secretário, Juvir Costella (PMDB), também foi questionada, pela falta de experiência do político nas áreas envolvidas. Na época, Costella chegou a afirmar que buscaria se cercar de um quadro técnico qualificado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.