Epitácio Pessoa/AE
Epitácio Pessoa/AE

Ex-juiz Lalau, de 84 anos, segue preso na carceragem da PF em São Paulo

Defesa de Nicolau dos Santos Neto pedirá nesta terça o retorno ao regime de prisão domicilar

Bruno Lupion, de O Estado de S. Paulo,

26 de março de 2013 | 15h04

SÃO PAULO - A defesa do ex-juiz Nicolau dos Santos Neto, de 84 anos, preso desde a noite de segunda-feira, 25, na carceragem da Superintendência da Polícia Federal em São Paulo, pedirá nesta terça-feira, 26, que seu cliente retorne ao regime de prisão domiciliar.

Lalau, como ficou conhecido, foi condenado a 26 anos de prisão em 2006 por ser o principal responsável pelo desvio de R$ 169,5 milhões da construção do Fórum Trabalhista em São Paulo, e estava em prisão domiciliar em sua casa no Morumbi, zona sul de São Paulo, desde 2007.

Nesta semana, o Tribunal Regional Federal da 3ª região cassou a decisão que autorizava a prisão domiciliar, pois exames médicos concluíram que as condições de saúde do ex-juiz eram estáveis.

O advogado de Lalau, Francisco de Assis Pereira, lembrou que ainda não há condenação definitiva contra Lalau e afirma que o benefício da prisão domiciliar é um direito para presos provisórios com mais de 80 anos. "É a prisão preventiva mais longa do Brasil, nunca ninguém ficou 13 anos nessa situação", disse.

Ele também argumenta que Lalau está com a saúde abalada, com entupimento de artérias e dificuldade de locomoção, e que apresentará exames médicos comprovando suas afirmações.

Mais conteúdo sobre:
LalauNicolau dos Santos Neto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.