Ex-governador de Goiás, Iris Rezende morre aos 87 anos

Ex-governador de Goiás, Iris Rezende morre aos 87 anos

Desde agosto, político estava em tratamento para tentar se recuperar de um AVC; velório será realizado no Palácio das Esmeraldas, Goiânia

Amanda Calazans e Júnior Moreira Bordalo, O Estado de S.Paulo

09 de novembro de 2021 | 05h18
Atualizado 09 de novembro de 2021 | 21h00

O ex-governador de Goiás e ex-prefeito de Goiânia Iris Rezende morreu na madrugada desta terça-feira, aos 87 anos. Ele estava internado desde agosto no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, por causa de um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Com a presença de centenas de pessoas, entre familiares, amigos e admiradores, o velório foi realizado no Palácio das Esmeraldas, sede do governo do Estado. O sepultamento foi no Cemitério Santana, em Goiânia, no início da noite desta terça.

No dia 6 de agosto, Iris Rezende foi submetido a uma cirurgia no Instituto de Neurologia de Goiânia após ser constatado um quadro de AVC hemorrágico. Em seguida, ficou internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Ele chegou a ser extubado, quatro dias depois, após apresentar uma melhora. No fim de semana passado, sua mulher, a ex-deputada federal Iris de Araújo, afirmou que Rezende, com pneumonia, havia sido intubado novamente. 

Nascido em Cristianópolis (GO), Rezende era formado em Direito. Iniciou na carreira política aos 16 anos, filiado então ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Foi vereador, prefeito, deputado estadual, governador por dois mandatos, senador da República, ministro da Agricultura (governo José Sarney) e da Justiça (governo Fernando Henrique Cardoso). O último cargo político foi de prefeito de Goiânia, entre 2016 e 2020, pelo MDB.

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), lamentou a morte de Iris Rezende e decretou luto de sete dias no Estado. Em uma série de mensagens no Twitter, Caiado lembrou a influência do ex-governador em sua própria trajetória política.

“Eu passei a ouvi-lo com muita frequência. Foi político por mais de 60 anos sem perder sua capacidade de ouvir e de interagir com o povo”, afirmou Caiado. “Iris foi referência. Um homem que governava com ética, compromisso, coragem.” 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.