Ex-funcionários de deputada são presos tentando vender dossiê no Rio

Cristiano Valadão e Marcos Paulo Alves queriam vender, por R$ 1,5 milhão, dossiê contra a deputada estadual Janira Rocha (PSOL), presidente do diretório estadual do partido no Rio

Luciana Nunes Leal, O Estado de S. Paulo

03 de setembro de 2013 | 11h47

Rio de Janeiro - Agentes da Delegacia Fazendária do Rio prenderam dois ex-funcionários da deputada estadual Janira Rocha (PSOL), presidente do diretório estadual do partido. Cristiano Valadão e Marcos Paulo Alves queriam vender, por R$ 1,5 milhão, dossiê contra Janira Rocha. O flagrante ocorreu no gabinete da secretária estadual de Defesa do Consumidor, Cidinha Campos, a quem eles ofereceram o documento.

No dossiê, eles informam que Janira obrigava os funcionários a fazerem a "cotização" dos salários e denunciaram irregularidades na prestação de contas de campanha. Também juntaram áudios de ligações telefônicas, em que a deputada diz que a "única" coisa ilegal no mandato é a cotização, mas ela não se envergonha disso. "Eu não estou roubando dinheiro para mim".

Em outra gravação, Janira sugere a elaboração de um relatório que justifique a utilização de verbas do Sindisprev na sua campanha eleitoral. "A gente pode botar no relatório que o dinheiro foi para atividades políticas, mobilizadoras. Não pode dizer, ah, foi pra construção do PSOL, foi para despesa para eleger deputado. (...) Isso é crime. Então é um crime tanto do sindicato quanto um crime nosso. Um crime eleitoral".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.