Ex-engraxate de Alencar aguarda na fila para velório

Uma fila de admiradores do ex-vice-presidente da República José Alencar começou a se formar na Praça da Liberdade, em frente ao Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte, que, até 2010, era a sede do governo de Minas Gerais. Entre eles, está o pedreiro Sebastião Francisco Ferreira, de 51 anos, que, na infância, foi engraxate do então empresário. "Ele me levava para a casa dele, onde eu tomava café primeiro. Só depois eu engraxava o sapato dele", conta, emocionado.

DAIENE CARDOSO, ENVIADA ESPECIAL, Agência Estado

31 de março de 2011 | 08h43

De acordo com Ferreira, Alencar costumava perguntar se o então garoto havia ganhado dinheiro suficiente no dia. Geralmente, oferecia outros serviços para Ferreira fazer na residência. "Já que você não ganhou nada hoje, você vai lá para o jardim agora", dizia para o então engraxate. Ferreira, que chegou pouco antes das 8 horas à praça, disse que se lembrará do ex-cliente como um homem humilde e acolhedor.

"Acho que esses deputados deveriam se espelhar nele. Ele matou minha fome naquela época", afirmou. O Cerimonial do Governador estendeu um tapete vermelho diante do palácio. Os Dragões da Inconfidência, grupamento de honra da Polícia Militar (PM) de Minas, posicionaram-se para as homenagens de chefes de Estado a Alencar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.