Ex-ditador Suharto lidera lista de corruptos; Brasil elogiado

O relatório Corrupção Global 2004,elaborado pelo grupo britânico Transparência Internacional,apresentou hoje uma lista com os políticos mais corruptos detodos os tempos. No topo está o ex-ditador indonésio Suharto,acusado de desviar entre US$ 15 bilhões e US$ 35 bilhões nos 31anos em que ficou no poder (1967 a 1998).Há também episódios positivos, afirma o grupo, quecita o Brasil como um dos países que adotaram medidas paraerradicar o mal. A Transparência cita a lei aprovada em 2002,exigindo que os candidatos apresentem eletronicamente suasdoações de campanha.O documento revela ainda que os países com índices decorrupção política relativamente altos da América Latina sãoArgentina, Bolívia, Equador, Guatemala, Haiti, Honduras, Panamáe Paraguai. Na vice-liderança dos mais corruptos, figura o ex-presidente da Nigéria, SaniAbacha, com US$ 2,5 bilhões acumulados. O ex-ditador sérvio,Slobodan Milosevic, hoje preso na Holanda, vem depois, com umpatrimônio avaliado em US$ 1 bilhão. O ex-presidente do Haiti,Jean-Claude Duvalier, amealhou entre US$ 300 e US$ 800 milhõesenquanto esteve no poder. O ex-presidente peruano, Alberto Fujimori, vem logo atrás nalista da corrupção, com US$ 600 milhões desviados do erário. Nalista da Transparência há, ainda, um ucraniano, um filipino e umnicaragüense. "Democracias não podem mais tolerar corrupção, fraude edesonestidade", escreveu o ex-presidente dos EUA, Jimmy Carter,no prefácio do relatório.

Agencia Estado,

25 de março de 2004 | 20h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.