Ex-deputado Hildebrando é condenado à prisão novamente

O ex-deputado Hildebrando Pascoal (AC) foi condenado nesta quarta-feira a mais 18 anos e seis meses de prisão. Desta vez, pelo assassinato, em 1997, de Sebastião Crispim, soldado do Corpo de Bombeiros do Acre. Hildebrando já havia sido condenado a mais de 60 anos por homicídio, tráfico de drogas e crime eleitoral, entre outros delitos. Ele teve o mandato de deputado federal cassado em setembro de 1999, depois que a CPI do Narcotráfico concluiu que havia ligações do então parlamentar com o tráfico de drogas e com grupos de extermínio. Na acusação contra Hildebrando, o Ministério Público afirmou que a morte do soldado Sebastião Crispim tinha sido queima de arquivo, porque o bombeiro iria testemunhar contra o ele num dos julgamentos. Hildebrando está preso desde 1999 - na verdade, saiu algemado da sessão da Câmara que lhe cassou o mandato - num presídio de Rio Branco. O julgamento de Hildebrando começou na segunda-feira, na Justiça Federal de Brasília, e terminou nesta quarta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.